3D Warehouse
Galeria
360
Design
Design 2
Versatilidade
Modularidade
Funcionalidade
Mecanismo
Mecanismo 2
Mecanismo 3
Mecanismo 4
Cabeamento
Cabeamento 1
Cabeamento 2
Conectividade
Arquivamento
Acessórios
Dimensões
Cores
Cores 2
Orçamento

Conheça as regras da ABNT sobre móveis para call centers

7 anos ago  •  Comments

por

Publicado em : 13/02/2014

Compartilhe:

Confira algumas regras da ABNT para móveis e garanta mais conforto a seus colaboradores.

Em certas áreas de algumas empresas, como atendimento por telefone, suporte a distância ou telemarketing, a informação e a interação entre empresa e cliente passam pelo call center. E, como procedimentos nessa categoria de serviço se tornam repetitivos no dia a dia, é necessário o máximo de conforto para garantir maior concentração no trabalho.

Entretanto, muitas dessas empresas contêm escalas de trabalho diversificadas para um mesmo local. Isso significa que pessoas diferentes, com medidas e especificações físicas diversas, usam os mesmos equipamentos. Nesse caso, como proceder para oferecer conforto aos colaboradores da empresa?

Foi por isso que surgiu a aplicação da ergonomia em móveis. A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) determinou regras sobre ergonomia para os móveis utilizados em call centers.

Confira regras da ABNT para adequação de móveis:

Uma das especificações da ABNT sobre a ergonomia dos móveis é a seguinte: quando o trabalho for manual, sentado ou exigir que o operador fique de pé, é preciso que este tenha a oportunidade de variar a postura. Esse ajuste deve ser fácil e resultar em um espaço confortável para seus movimentos.

CALL CENTER
More MZ
CALL CENTER
More WS
CALL CENTER
WX
CALL CENTER
Star

Bancada

A bancada sem material de consulta precisa ter a profundidade mínima de 75 cm, cuja medição deve ser feita a partir da borda frontal. A largura deve permitir ao operador zonas de alcance manual que não passem de 65 cm de raio em cada lado, tendo como referência os ombros da pessoa na posição ideal para a tarefa.

Já a bancada que contém material para consulta precisa de uma profundidade de, no mínimo, 90 cm, contados a partir da borda frontal, com largura de 100 cm, e zona manual com alcance de no máximo 65 cm de raio em cada extremidade.

Essa superfície deve favorecer o acesso confortável e a utilização de documentos. Além disso, a superfície de trabalho deve ser arrematada com bordas arredondadas. Para regular a altura das superfícies de tarefa, o intervalo mínimo permitido é de 13 cm a partir da face superior, oferecendo liberdade para o apoio dos pés no piso.

O apoio para o mouse deve ser, de preferência, o mesmo usado para o teclado, com espaço suficiente para a movimentação e firmeza para sustentar o apoio do braço.

Os joelhos devem ficar confortavelmente livres para a movimentação, com um espaço de 45 cm de profundidade no nível dos joelhos e, no nível dos pés, 70 cm a partir da borda frontal.

Must OPERATIVA

Assentos

O assento precisa estar apoiado sobre cinco pés com rodinhas, com resistência para não escorregar involuntariamente e para o móvel ter estabilidade. O corpo deve ficar em contato com materiais que permitam a ventilação e perspiração, tendo a base com estofamento densidade entre 40 e 50 kg/m3.

Para o encosto, a regulagem deve ser eficiente para proteger e moldar a região lombar. O apoio para os braços deve ser regulável até 25 cm acima do assento e não pode atrapalhar a aproximação entre a cadeira e a bancada de trabalho.

Se o operador não consegue alcançar o piso, mesmo com as regulagens feitas, um apoio regulável para os pés deve ser fornecido, compreendendo o comprimento das pernas e apoiando firmemente as plantas dos pés no chão, cuja superfície deve ser antiderrapante.

Aplicando as regras

Essas regras aplicadas, dentre as demais referentes à comodidade do funcionário, proporcionarão maior ergonomia ao local de trabalho e, consequentemente, mais saúde ao colaborador. Ganha o funcionário, que exerce sua função com liberdade, bem como a empresa, que multiplica seus índices de produtividade.

Ergonomia no trabalho é lei, e bons móveis fazem toda a diferença na busca por atingir as regras de Segurança do Trabalho. Um bom design de interiores pode, além de formular um ambiente funcional, deixar seu espaço muito mais atraente e a empresa preparada para receber visitas, valorizando também os funcionários que nela trabalham.

por

Publicado em : 13/02/2014

Compartilhe: